Qui, Abril 24, 2014
   
Texto
Entrar
ROKSTORIES ERROR: File not found: images/stories/slide/senado.jpgROKSTORIES ERROR: File not found: images/stories/gado/sl4.jpgROKSTORIES ERROR: File not found: images/stories/slide/sl1.jpgROKSTORIES ERROR: File not found: images/stories/gado/gado-morto33.jpg
image image image image image
Senadores pedem perdão de dívidas de agricultores       Em audiência, discutiram-se as dificuldades enfrentadas por agricultores familiares do semiárido, que correm o risco de perder suas propriedades por não quitar dívidas com Banco do Nordeste.
  LEIA MAIS...
PRODUTOR RURAL: Fuja do BNB enquanto é vivo. Carta enviada a presidente Dilma Roussef BANCO DO NORDESTE TOMA DO POBRE, PARA DAR AOS RICOS   Excia. Sra. Presidenta da Republica MD. Dilma Nana Rousseff Carta entregue a Presidente  Dilma pessoalmente, na sua vinda a João Pessoa. Além da seca o pequeno produtor rural vem enfrentando, o Banco do Nordeste o maior inimigo dos pequenos produtores rurais Nordestinos, com seus contratos ilegais e viciados, ex. o juro de mora é 1% ao ANO o BNB cobra 12%, multa é 2% BNB cobra 10%, comissão de permanência que não existe o BNB cobra 10% quando processa o pequeno produtor aumenta mais 30% alegando despesas judiciais, vamos dar como exemplo entre os 111 mil pequenos produtores rurais da Paraíba o Sr. José Eusébio dos Santos do Município de Pilõesinho-PB, produtor rural com 90 anos, viúvo, pai de 05 filhos e analfabeto. Seu José em 30/12/1993, fez um empréstimo no BNB no valor de CR$ 1.605.109,00 (um milhão seiscentos e cinco mil e cento e nove cruzeiros) na conversão em 01/07/1994 ficou em R$ 594,37 (quinhentos e noventa quatros reais e trinta e sete centavos),  o BNB disse que tinha liberado para o Sr. José em 30/12/1993 R$ 16.752,36 em 1993 jamais tinha o real, com juros de 3% ao ano, é bom saber que no BNB, os contratos antes do plano real, o BNB, não fez a conversão, a prova é Sr. José. Em 07/04/1997 o BNB disse que tinha liberado para o Sr. José 17.921,54, mais uma mentira do BNB nesta data o BNB liberou para o Sr. José R$ 11.271,00, com juros de 3% ao ano. Em 29/11/2010 o BNB processou o Sr. José cobrando R$ 40.621,37, o BNB cobra do Sr. José R$ 13.900,00 para renegociar uma divida de R$ 44.755,00. A chantagem do BNB, ameaçando, o Sr. José, teve de vender todo o seu gado, em 03|11|2011 pagou ao BNB, R$ 6.500,00, se o BNB fosse honesto comunicaria a Justiça que tinha recebido do Sr. José R$ 6.500,00 isto não fez, só que no BNB é o único do MUNDO, quanto mais o pequeno produtor rural paga, mais sua conta AUMENTA. Em 26/01/2012 fornece como de costume em papel em branco sem timbre do BNB, o soldo devedor do pobre produtor R$ 41.854,05. O mais revoltante é que em 20/11/2012 o BNB entrega uma proposta de liquidação da Lei 12.249 soldo devedor R$ 34.414,19 para liquidar com desconto de 65% R$ 12.044,97, os cálculos têm de ser feitos da divida originalmente contratada, isto é para enganar o governo Federal na hora do repasse, também não fiscaliza o BNB, é uma vergonha Nacional este Banco Central, que deveria fiscalizar os contratos ilegais nas agencias a começar pela de Guarabira-PB. Se o BNB fosse honesto cumprido a lei somando as duas dividas originalmente contratadas com juros de 3% (três por centos) ao ano, a divida de seu José com o BNB seria R$ 16.924,82 menos 65% igual a R$ 5.601,60 para o Sr. José pagar ao BNB, seu José pagou ao BNB R$ 6.500,00 em 03/11/11 R$ 6.500,00, menos R$ 5.601,00 igual a R$ 898,31 é o que o Sr. José tem a receber do BNB R$ 898,31, isto se o BNB fosse honesto, por que o BNB cobra do Sr. José R$ 12.044,92. O próprio BNB sabe que não pode executar o pequeno produtor rural quem tem débito abaixo de R$ 15.000,00, manual auxiliar de operação de crédito, título 22 capítulo 3 do próprio BNB, o BNB deveria  cobrar as dívidas daqueles que fizeram empréstimo acima de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais), coisa que ele não fez o que ele fez, foi perdoar, conforme fiscalização do TCU feito em apenas 14 agências do BNB das 211 agências, perdoou para os grandes  7 bilhões e 600 milhões, acórdão do TCU 944/2010,  diminuiu uma dívida de uma firma do Piauí de 65 milhões para 6,6 milhões, acórdão do TCU 1.840|2008,aqui na Paraíba diminui uma divida de 5.300 milhões, para 300 mil, perdoou para os grandes que não é lei,  os pequenos que é lei o BNB, executa judicialmente. Se fosse relatar as monstruosidades do BNB, vem cometendo contra os pequenos produtores rurais, um livro era pouco, um Banco Oficial, que não respeita as leis deste País, era para este Banco esta fechado. Temos uma viúva na cidade de Acarí-RN, seu esposo de tanta pressão do BNB, foi ao suicido, o BNB achando pouco, executa na justiça esta pobre viúva, sem dó e  piedade. Aqui na Paraíba, temos uma viúva com 75 anos, mãe de 12 filhos, todos morando no pedacinho de terra, o BNB vem executando esta pobre senhora, tá na iminência de perder sua terra, por ter feito um empréstimo no BNB de R$ 2.500,00. O Sr. José Casciano da Cunha, com 72 anos,deficiente físico,fez um empréstimo de  R$ 21.436,31, o BNB já chegou a cobrar dele R$ 894.837,25, este cidadão,em 13.03.2007, de acordo com a lei 11.322, fez um deposito de R$ 3.405,00 para renegociar sua divida até hoje o BNB não renegociou sua dívida e não devolveu seu dinheiro, BNB cobra deste cidadão, na maior ILEGALIDADE, R$ 138.287,99, calculando a divida de Sr. Casciano não chega a R$ 35.000,00, pergunta para onde vai os R$ 103.000,00, o  Sr José tem todos os requerimentos que mandou para o BNB, via AR. Minha luta em defesa dos pequenos agricultores, eu paguei minha divida ao BNB 5 vezes, perdi minha terra, a coisa que mais amava na minha vida, sem estar atrasado com o BNB,ganhei 2 safenas e uma mamaria, até hoje procuro saber onde anda uma poupança de R$ 2.600,00, o BNB, não informa, para onde foi este dinheiro,forneceu um extrato totalmente falsificado, doc. anexo. SRA. PRESIDENTA NOSSAS REIVINDICAÇÕES, PARA SALVAR OS PEQUENOS AGRICULTORES NORDESTINOS, DE IMEDIATO SÃO; Extinção de todas as execuções judiciais abaixo de R$ 35 mil e suspensão das execuções, acima de R$ 35.000,00. Determinar ao BNB a devolução das terras dos pequenos agricultores, que fizeram empréstimo até R$ 35 mil, o BNB tomou as terras desta gente, com seus contratos ilegais e viciados, perante a Justiça. NÃO vetar nenhum artigo do projeto de lei 688/11 do Senador Vital do Rego, concedendo o  perdão até R$ 35.mil este projeto é a salvação para o Nordeste. Aumentar a carência de 2 para 5 anos,  com esta seca nenhum agricultor tem condições de recuperar seu poder aquisitivo, nos próximo 5 anos. As parcelas devem ser fixa da 1ª a última, qualquer financiamentos que se faz sabemos da 1ª e última prestação, coisa que o BNB não faz. Determinar fiscalização nas agencias do BNB, em todos os contratos do BNB, são ilegais e viciados, começando pela Ag. de Guarabira-PB. o Governo precisa mostrar transparência. TRANSFERIR O FNE DO BNB, PARA O BB LEI 7.827|27.09|89, para evitar o monopólio do BNB, como bem afirma o TCU no seu acórdão 944|2010, o Banco do Brasil é HONESTO. Os agricultores que compraram terras pelo Banco da Terra, seja, dado um melhor tratamento, unificar esta classe, com os agricultores que adquiriram terras, pelo INCRA, estes agricultores vivem totalmente desprezados, pelos órgãos competentes, não recebe nenhuma assistência e incentivos, para este povo lutador, para completar seus sofrimentos, ainda tem o Banco do Nordeste, executando eles. Fiscalizar o Ministério da Fazendo no repasse do dinheiro para o BNB, o MF, não fiscaliza os contratos ilegais e viciados do BNB, transparência é bom. Jair Pereira Guimarães Presidente
BNB dar prejuízo no FNE de 2 Bilhões       Associação dos Mutuários do Crédito Rural do Estado da Paraíba vem de público cobrar providências do: Banco Central, Ministério da Fazenda, da Integração Nacional, Ministério Público Federal, Casa Civil; CGU, Câmara dos Deputados e Senado Federal, sobre o Acórdão do TCU nº 944/2010 em poder do próprio BNB. Leia mais...
Paguei 5 vezes minha divida ao banco do nordeste, perdi minha terra e ganhei duas safena e uma mámaria pelas contrariedades sofridas pelo BNB.          Paguei 5 vezes minha divida ao   Banco do Nordeste e ainda queria receber mais 10 vezes, em 2004 liquidei minha divida com o BNB de acordo com a Lei n.º10.696, desta data em diante fiquei cobrando a liberação da Hipoteca de minha terra ao BNB sempre   Leia Mais...
BNB engana Governo Federal e os Agricultores desde 2002.          O BNB cobra ILEGALMENTE juros de mora de até 12% ao ANO,  multa 10%, comissão de permanência de 10%, juros normais de 6% ao ANO. TOTAL 38%(trinta e oito por centos) ao ANO: O certo é  a partir de 01.01.2002 os juros normais é de 3%(três por centos)ao ANO,   juro de mora 1%(um por cento) ao ANO.  O BNB cobra a maior taxa de juros do MUNDO. BNB inimigo número um do agricultor NORDESTINO Leia Mais...

Senador Roberto Cavalcanti

Pronuciamento 
Senador Roberto Cavalcanti
18/04/2011
Assista agora...


A casa caiu para o BNB

Polícia Federal apura 
desvio de mais de R$ 100 milhões
do Banco do Nordeste
08/06/2012
Leia tudo...


Senador Vital do Rêgo

Sessão plenária
Discurso do senador Vital do Rêgo
18/04/2011
Assista agora...

Manifestação No. 36833

TCU não mandou BNB executar
pequenos agricultores
08/09/2011
Leia agora...

Senador Vital apresenta projeto

Senador Vital do Rego
apresenta projeto, que salva os
agricultores de todo o nordeste e norte
de minas gerais e espiirito santos.


Jair Pereira no Senado

Comissão
de assuntos econômicos
18/04/2011
Assista agora...


BNB toma terra

BNB toma terra
de agricultor sem ele
tomar conhecimento
18/04/2011
Assista agora...

Resumo do Ministro do TCU

Resumo do Ministro
do TCU Valmir Campelo
08/09/2011
Leia agora...

Um rombo de mais de 2 bilhões

TCU aponta rombo de R$ 2 bilhões
em Fundo administrado pelo BNB
13/01/2012
veja a capa
leia tudo pag.02

BNB banco cruel

BNB tira o leite da boca
dos netos desse casal
18/04/2011
Assista agora...


BNB vende terra

BNB vende terra
de agricultor dentro do
próprio banco
18/04/2011
Assista agora...

         Associação dos Mutuários de Crédito Rural da PB. Propõe: Decreto Lei – dispõe sobre o perdão de dívidas oriundos de operações de crédito rural contratadas na área de atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste SUDENE. Art. 1º Fica autorizado o PERDÃO de dívidas originárias de crédito rural, relativa a empreendimentos localizados na área de atuação da Superintendente de Desenvolvimento do Nordeste SUDENE, contratadas por agricultores familiares, mini, pequenos, médios, suas cooperativas ou associações, até 31 dezembro 2001, com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento de Desenvolvimento do Nordeste-FNE ou do Fundo de Amparo ao Trabalhador-FAT, ou do FNE combinado com outras fontes, ou de outras fontes PRONAF, PRODESA, PROCERA, Lei 9.138 de 29/11/95,Risco da União e da Resolução 2.765 de 10/08/2000 do CMN, cujas operações tenham sido contratadas perante os bancos Oficiais Federais no valor ORIGINALMENTE contratado até R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais),em uma ou mais operações do mesmo mutuário, sem o cômputo de multa,mora,juros,ou quaisquer outros encargos de inadimplentes, custas processuais, honorários de advogados. a) Fica suspensas as execuções judiciárias abaixo de R$35.000.00, como também proibido os Bancos Oficiais de colocar os nomes dos agricultores no Cadin e SPC. b) O agricultor que fez empréstimo até R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais), a partir de 01/01/2002 até a data da publicação desta lei, poderá liquidar sua dívida com juros de 3% (três por cento ao ano),com bônus de 85% (oitenta e cinco por centos) ou dividir em 10 (dez anos), de acordo com art.3º da lei 10.177, da área da SUDENE. c) O Banco do Nordeste é obrigado a devolver os numerários recebidos após a publicação da Lei 12.249, aos agricultores, cujos valores tenha sido abaixo de R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais), valores estes corrigidos. Art. 2º O mutuaria que fez empréstimo no valor acima de R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais) a R$ 100.000.00 (cem mil reais), tem abatimento de sua dívida ORIGINAL de 85%(oitenta e cinco por cento), com um prazo de 2 (dois anos), a contar da data da publicação desta Lei, para liquidar sua dívida, tudo de acordo com o art. 1º desta .Lei. Art. 3º O Mutuário que fez empréstimo acima de R$ 100.000,00 (cem mil reais), tem um prazo de 20 (vinte anos), para repactuar sua dívida com os juros de acordo com art.45 da Lei 11.775 de 17/09/2008,§ III. Fica suspensas todas as execuções, para assinatura de novos contratos. Art. 4º Fica transferido para o Banco do Brasil S/A, O Fundo Constitucional de Financiamento de Desenvolvimento do Nordeste FNE. JUSTIFICATIVAS art. 1º a lei 12.249 já concede o perdão até R$ 35.000,00 a R$ 80.000,00,o art.2º é da Lei 11.322, art.3º, O art.3º é a Lei 11.775, art.45,§ III. A Lei 9.138 é a lei da securitização, hoje nenhum agricultor pode liquidar, a dívida encontra-se na dívida ativa da União,cobrando taxa CELIC sem respeitar a Lei 12.249: A resolução 2765/10/08/2000, é que autoriza o pequeno agricultor que fez empréstimo até R$ 15.000,00 (quinze mil reais) A transferência do FNE do BNB para o Banco do Brasil é a lei 7.827 de 27/09/89,o BNB não tem a mínima condições de gerir o FNE, basta ler os acórdão de nº1.840/2008 e 944/2010,do TCU o prejuízo que este banco vem dando ao FNE sem contar na gestão do Sr. Byron Queiroz houve prejuízo para o FNE. de 7 bilhões, quem afirma que o Banco do Brasil é honesto é o próprio TCU, pág.99 do acordo 944/2010. O BNB.vem cobrando honorários e custas dos agricultor antecipadamente. Jair Pereira Guimarães-Presidente. AMCREP. br />

 

" JAIR PEREIRA NA SUA PROPRIEDADE SONHO MEU,  MONTADO NO SEU CAVALO BONECO. UM SONHO DE MENINO QUE FOI TIRADO PELO BANCO DO NORDESTE... "

 
Restaurar as configuracoes padroes

Associados